terça-feira, 31 de janeiro de 2012

AMERICA PARA OS ..AMERICANOS!



O discurso do Estado da União do presidente Obama foi nojento.

O presidente começou com um tributo comovente às forças armadas e suas conquistas. Mas como fez das outras vezes, ele celebrou as virtudes militares não para prestar apoio aos militares, mas para se vangloriar – ele matou Osama Bin Laden! – e convencer o povo americano de que todos deveriam pôr-se em fila e marchar juntos.

Sobre os militares, ele disse: “Em um tempo em que muitas de nossas instituições nos decepcionaram, eles excederam nossas expectativas. Eles não são controlados pela ambição pessoal. Eles não são obcecados por suas diferenças. Seu foco é a missão. Eles trabalham juntos. Imaginem o que poderíamos alcançar se seguíssemos seu exemplo. Pensem na América ao nosso alcance.”

Isso foi nojento.

O que Obama está dizendo, simplesmente, é que a América estaria melhor se não fosse mais a América. Ele não está defendendo o caráter excepcional da América, mas o caráter excepcional de Esparta.

Isso é muito pior do que qualquer coisa que George W. Bush, o pretenso belicista, jamais disse. Bush, o suposto fascista, não queria militarizar nosso país livre; El tentou usar nossos militares para libertar países militarizados.

Na verdade, Obama está deturpando a real vocação dos militares numa sociedade livre. Nós temos uma força militar para manter a nossa sociedade livre. Não temos militares para que nos ensinem a melhor maneira de abdicarmos de nossa liberdade. Nossos guerreiros abrem mão de suas liberdades e arriscam suas vidas para protegerem as nossas. A promessa de vida americana de Obama é que, se tentarmos nosso melhor e trabalharmos duramente, poderíamos ser como uma unidade militar lutando por um único objetivo. Eu vi imagens assim da Coréia do Norte. Não, obrigado, Sr. Presidente.

Claro, a fantasia militar de Obama não é nova. Desde que William James cunhou a expressão “equivalente moral da guerra”, o esquerdismo tem por obsessão encontrar maneiras de mobilizar a vida civil com a eficiência e a conformidade da vida militar. “Virtude marciais”, escreveu James, “devem ser o cimento duradouro” da sociedade americana: “intrepidez, desprezo pela leveza, abdicação do interesse privado, obediência ao comando devem ser ainda a rocha sobre a qual um Estado é construído.” Seu discípulo, o filósofo de esquerda John Dewey, ansiava por uma ordem social que forçaria os americanos a deixar de lado “nosso bondoso individualismo e nos pôr em marcha”.

É por isso que a administração Obama acredita que uma crise é boa demais para ser desperdiçada. É por isso que Obama tem tagarelado sobre “momentos Sputnik” e se lamentando em sua inveja da China e seus governantes. É por isso que seus floreios se esforçaram por traduzir a morte de Bin Laden em um tipo de defesa de sua agenda doméstica: porque ele não pode liderar um povo livre aonde ele acha que devam ir.

Ao fim de seu discurso, Obama mais uma vez invocou a morte de Bin Laden como César fez com Vercingetorix (o líder gaulês derrotado que César exibiu triunfantemente em Roma). “Tudo o que importava naquele dia era a missão. Ninguém pensou em política. Ninguém pensou em si mesmo.” Obama poetizou.

“Esta nação é grande porque trabalhamos como um time. Esta nação é grande porque protegemos uns aos outros.”

Não. Errado. Não é assim com a América. Esta nação não é grande porque trabalhamos como um time tendo o presidente por capitão. A América é grande porque a América é livre. Ela é grande não porque colocamos de lado nosso interesse próprio, mas porque temos o direito de buscar a felicidade.
Eu não culpo o presidente por estar exausto com a bagunça e a chateação da democracia e da política, uma vez que ele provou ser inadequado para fazer jus às demandas de ambas. Eu também não penso que ele realmente queira impor virtudes marciais à América. Mas ele quer desesperadamente que seus adversários calem a boca e simplesmente marchem. Ele acredita que essas asneiras irão convencê-los a fazer isso.

O que eu não posso perdoar, entretanto, é a maneira como ele tenta transmitir seu ideal de uma América onde todos marchem juntos, como uma América melhor. Isso não seria a América.


Jonah Goldberg é editor-assistente do National Review Online e autor do livro "Fascismo de Esquerda: a história secreta do esquerdismo americano", publicado pela Ed. Record.

Por
Juventude Conservadora

COMUNISMO,ESTA PRAGA- TERCEIRA PARTE



Um capítulo interessante e até recente desta malfadada epopéia foi apodado de “Mensalão”, hoje tido até mesmo como suposto e próximo de sua prescrição ante a Lei. A falta de moral dos “mensaleiros”, dos vendilhões, foi aproveitada pelo establishment para tornar possível seus mandos e desmandos. Aqueles que fizeram da “Ética na Política” uma bandeira ao impeachment de um Presidente foram os mesmos que promoveram o “Mensalão”... Cômico seria, caso não fosse trágico.


Desnecessário ter dons mediúnicos ou rompantes de quiromancia para vaticínios, basta entender que a idéia revolucionária é ir acostumando a população à nova ordem institucional até que, sem reação alguma, a nomenklatura se instale definitivamente em todas as esferas de Poder e goze de seus desejados privilégios.

Para desconforto de muitos, afirmo que já vivemos sob grande influência desta manobra revolucionária e, para provar a assertiva, darei alguns exemplos. Vejamos adiante.


Os inúmeros conselhos municipais e similares não fazem parte do que se pode classificar como Democracia Representativa, em verdade são uma versão nhambiquara dos soviets. Quem elegeu os membros de tais conselhos? Por que os conselhos não são coordenados pelas Câmaras Municipais? Este é o órgão legislador de fato! Do contrário, a edilidade recebe, com absoluta razão, a pecha de mera marionete, cujas principais atividades se resumem a nomear logradouros públicos, agir como “despachantes” do clientelismo endêmico e dar guarida ao seu séquito de cabos eleitorais. Estou propondo que a população se cale ante seus anseios? Não! Apenas que se organize e busque seus legítimos representantes, afinal a que serve o voto? Ao legislador cabe, ora, legislar!!! Não há que receber o prato feito de conselhos! Este status quo serve apenas para, no decorrer do tempo, caracterizar os vereadores como inúteis e daí à extinção do Legislativo, nada custa.


Em semelhante situação se encontram deputados estaduais, federais e senadores. Ainda mais os senadores espertalhões, os quais não conseguem sequer entender que ocupam o cargo mais importante de uma república, cedendo à fissura do Poder transitório e egoísta, criando para si vantagens além do absurdo: planos de saúde super-nepóticos, garagistas cujos salários excedem os vencimentos de comandantes de fragatas, inúmeros assessores e verbas acessórias, e assim por diante. Na história recente, os senadores já ouviram de um ex-ministro da Justiça e atual governador sulista, que fazem parte de uma instituição anacrônica, a qual deveria ser extinta. Somente para o registro, a importância do Senado a uma república é tão basilar, que o vetusto estandarte romano apresenta a inscrição SPQR (Senatus Populusque Romanus), ou seja, “(em nome do) Senado e do Povo Romano”.


Mais uma: um dos calibres grossos do poder, senão o maior dentre todos, tem sua dacha no município vizinho. Dacha era o nome dado às casas de campo dos grão-vizires da nova nobreza da nomenklatura do Partido da extinta (apenas pro forma) URSS. Convenhamos, uma trajetória de aumento patrimonial impressionantemente rápida para um “ex-clandestino”, que hoje é lobista, transita de jatinho e “é do povo”. O povo tem, mesmo, muitas casas de veraneio por aí... Uma sugestão: antes de aceitar o discurso de alguém, convém conhecer sua biografia.


De toda esta mixórdia, penso que a instituição que mais mereça cuidado é a Família. É mais que importante protegê-la, rechaçando abertamente e com justo vigor as infelizes palavras do Ministro do Supremo que, agindo de forma anticonstitucional, se referiu à união matrimonial tradicional de um homem e uma mulher como um ato de mero incremento de patrimonial, sem afetividade... Ora, minha Família é meu patrimônio maior, sim, não nego e acresço: tão grande é ele que não se pode contabilizar ou medir em moedas seu valor. Seu valor é transcendente, real e eterno. As palavras do ínclito juiz me ofenderam no cerne e provaram o quão distorcido é seu juízo de valores.


Ameaçam seriamente também a Família, célula social básica, os movimentos pró-aborto e a educação escolar, desde a escola infantil até o ensino superior; os movimentos pró-aborto o são, por óbvio, ainda que travestidos de “católicas pelo direito de decidir” e o ensino escolar, este porque distorcido e sem foco no essencial: os conteúdos programáticos curriculares, salvo honrosas exceções, estão carregados de re-escritura da História e afins, que é feito sempre usando de linguagem, visão e indução ao marxismo, fazendo com que alguns assuntos, que seriam apenas temas de uma grade, passassem à categoria de matérias. Afora isto ser intempestivo no mais das vezes, o tempo é usado para doutrinar crianças, adolescentes e jovens, em vez de ensiná-los o básico em Língua Portuguesa, Matemática, Química, Física, Biologia e Geografia Física (a Geografia Humana é ensinada com muito carinho, sempre mencionando “Luta de Classes”). O ensino se torna uma arma e esta mais poderosa fica quando pais e mães “terceirizam” o processo, entendendo que é a escola que deve educar seus filhos... Enganam-se, papais e mamães, pois a educação dos filhos é de sua responsabilidade, escolas podem colaborar e tem por obrigação bem informar, mas é no seio da Família que a educação tem seu lugar; este tesouro não está disponível à abdicação e por amor e responsabilidade deve ser muito bem guardado por pais e mães.

O texto já está extenso e é hora de seu epílogo e encerramento. Após discorrer sobre esta triste realidade, é justo nominar ao menos um dos principais mentores desta criatura teratológica: o Professor Fernando Henrique Cardoso, o elemento mais gramsciano da História do Brasil, grande vitorioso em seu propósito ao eleger Luís lnácio Lula da Silva como seu sucessor e, pelo andar da carruagem, ajudará bastante o retorno de Lula ao sólio do Palácio da Alvorada.

Quem pretende ajudar na manutenção da tríade Jerusalém, Atenas e Roma não tem espaço na política atual. Muito há que estudar, há que se buscar travar batalhas no campo cultural, a política é somente uma decorrência disto e, para vencê-las, basta mostrar a verdade aos incautos. Isto é simples, porém é custoso e tomará muito tempo. Levará gerações até que haja massa crítica para respostas eficazes, haverá momentos em que a vontade de desistir será avassaladora e, nesta bendita hora, tenha-se por inspiração a Canção do Tamoyo, Últimos Cantos (1851), de Gonçalves Dias: “Não chores, meu filho; não chores, que a vida é luta renhida: viver é lutar. A vida é combate, que aos fracos abate, que os fortes, os bravos, só pode exaltar”.


Embora de forma organizada sejamos poucos, por enquanto, estou certo de que também sejamos uma maioria silenciosa, ainda não plenamente consciente do ardil que se nos preparam, mas seguramente capaz de reagir: basta começar. Perseverantes, haveremos de preservar nosso direito de viver conforme nossos ideais. Logo, à luta!





(*) o autor é politicamente incorreto

COMUNISMO, ESTA PRAGA- SEGUNDA PARTE


A utópica sociedade socialista/comunista, tida pelos seus defensores como o Paraíso na Terra, na verdade só conseguiu produzir ao longo de seus quase cem anos de existência: genocídio; pobreza; submissão da realidade denominada Sociedade à ficção jurídica chamada Estado; privação da mais fundamental das liberdades, que é a liberdade de pensamento, sem a qual as demais manifestações de liberdade não existem, culminando na perda das liberdades individuais. O nome disto é tirania.

Ora, contra-argumentarão uns: “... mas a China é comunista e próspera, a Europa capitalista está indo à bancarrota...”. Respondo: o primeiro engodo da falácia marxista é fazer a oposição entre Capitalismo e Socialismo... Marx era esperto. O socialismo/comunismo é uma ideologia, capitalismo é um mero arranjo de produção e comércio. Não são comparáveis bananas e melancias! A prova é esta: a China, depois da Grande Marcha de Mao Zedong e sua trilha de 60.000.000 de cadáveres, apenas dez vezes maior que o Holocausto nazista, criou o “novo homem” e hoje tem uma economia de mercado, porém a sociedade é socialista, está submetida ao Estado e este está tomado pelo Partido Único. Os amigos do Partido serão ou não serão empresários de sucesso, conforme convier.


Sobre a Europa de economia em crise, vejamos: seguir os ditames da social-democracia, como o tal estado de bem-estar social, levou o continente europeu a isto. Lord John Maynard Keynes, agulha da bússola dos economistas magos e marxistóides, ensinava que Dívida Pública não se paga, apenas se renegocia. Isto pode valer para duas ou três gerações, mas um dia chega a conta para pagar: o almoço NUNCA é de graça. Há, também, outra óptica para analisar situação: durante muitos séculos a identidade européia foi dada pela Cristandade, a despeito das diversas etnias, idiomas e demais outras diferenças, a argamassa que unia a Europa estava no consuetudinário e no transcendente; há não muito tempo, a Europa substituiu suas ricas feições por uma representação apenas física e material: a moeda, na qual se cunhou o homem vitruviano.


Voltemos ao Brasil. Os revolucionários, geração após geração, alimentaram suas crias e as habilitaram com mestria. O resultado de tal adestramento aflorou a partir das universidades e redações de jornais, em meados dos anos 80, o que fez parir, nas organizações políticas, dois gêmeos fraternos: o PT e o PSDB. O objetivo era eliminar qualquer organização partidária que estivesse em desacordo com Pensamento Hegemônico proposto por estas duas correntes, uma se mostraria mais radical e outra mais contemporizadora, mas com o mesmo objetivo: a implantação do socialismo no Brasil, sobretudo de forma gradual, quase imperceptível. O velho exemplo de colocar rã para cozinhar: deixe-a na água fria e vá aquecendo aos poucos, até chegar à ebulição, e a rã nem se dará conta de que está sendo fervida. As pessoas vão se acostumando: ninguém vê o ar, mas todos o usam na respiração.


O PT é um partido revolucionário, com tendências totalitárias, e vem se instalando em todos os nichos da sociedade brasileira com o objetivo precípuo de implantar plenamente o socialismo no Brasil. Muitos de seus membros e eleitores sequer imaginam o grau de subversão da ordem institucional à qual têm colaborado, pois em sã consciência não participariam disso. Outros tantos, tanto sabem a que destino querem chegar, que até subdividiram o partido, sob legendas diversas, apenas para não caracterizar a ditadura do Partido Único.


A infiltração, a que me referi logo antes, serve também a camuflar o verdadeiro objetivo das ações e a monitorar possíveis oponentes, de modo a anulá-los antes mesmo de sua possível reação. Mais um dos porquês dessa postura camaleônica é a necessidade de implodir as instituições que salvaguardam as simbólicas Jerusalém, Atenas e Roma, destruindo-as de dentro para fora. Muito mais eficiente é o método de apoderar-se delas desde dentro, do que enfrentá-las num choque. Num linguajar chulo, poder-se-ia dizer: “fazer-se de morto para... sodomizar o coveiro”; mas, já que mencionei Jerusalém, é preferível buscar a mesma figura de retórica n’A Relíquia (1887), de Eça de Queiróz: “(...) sobre a nudez forte da Verdade, o manto diáfano da fantasia (...)”. Exemplos não faltam: a Teologia da Libertação e a Teologia da Prosperidade aí estão para corroborarem minhas palavras e, em se tratando da ação dos revolucionários dentro da Igreja Católica, mas não restritas a ela, estes conseguiram até mesmo editar novos exemplares da Vulgata, com a desculpa de atualização de vocabulário, para nela inserirem notas de rodapé de pura doutrinação marxista, sobretudo por usar do vil estratagema de explicar eventos de um passado distante sob o prisma da atualidade: não faltam alusões à “exploração do homem pelo homem para obter lucro”, sequer explicam que a escravidão, abominável que seja, foi prática comum; não era esta a condcondição do povo hebreu ao fugir do Egito e, depois, da Babilônia?

COMUNISMO- ESTA PRAGA- PRIMEIRA PARTE



Por Fernando Antoniazzi- PRIMEIRA PARTE

O pensamento político dito “de esquerda” fez várias incursões para a tomada do poder no Brasil durante o século XX. Baseados nas teses marxistas e, depois, neomarxistas, os revolucionários têm tentado se impor pela via das armas desde a Intentona Comunista de 1935, inspirados na globalização da Revolução Russa a partir de 1922, a soldo do PCUS (Partido Comunista da União Soviética). Assim foi durante muito tempo e outras revoluções armadas ocorreram, sobretudo na década de 60, pois por meio da força queriam impor à Nação a Ditadura do Proletariado. Em tais oportunidades foram impedidos pelas Forças Armadas, que se concentraram em combater as guerrilhas e o terrorismo, mas deixaram o campo cultural à mercê da ação dos revolucionários. Boa parte dos terroristas dos anos 60/70 hoje está encastelada no Poder, proclamam com gáudio suas ações violentas quando lhes convêm ao currículo e posam falsamente de baluartes da democracia contra o regime militar, mas não declinam que sua real intenção seria levar o país à ditadura comunista.

Resumindo, como o caminho das armas não deu certo, alicerçados nos “ensinamentos” de Antonio Gramsci (um dos fundadores do Partido Comunista na Itália) e da chamada Escola de Frankfurt, um conjunto de “filósofos” que se reunia naquela cidade alemã, mudaram a estratégia: não pelas armas, mas sim pela palavra, atingiriam seu objetivo, confirmando o adágio de que a pena é mais forte que a espada.
Segundo a cartilha neomarxista, para que uma sociedade ocidental fosse regida pelo pensamento “de esquerda”, seria necessário destruir suas bases morais, criar o caos e fazer surgir uma nova sociedade, apoiada no conceito do “novo homem”. Para tanto, imperioso seria tomar as cabeças que comandam as universidades e as redações dos jornais, bem como envolver o sindicalismo do Estado; então, após duas gerações o pretendido Pensamento Hegemônico teria expressão cultural suficiente para impulsionar os “esquerdistas” ao Poder, mesmo ante uma maioria não-esquerdista, mas silente e presa pelas armadilhas plantadas dentro de sua própria moral pela astuta ação dos revolucionários, agora sem armas de fogo.



O que significaria destruir as bases morais do Ocidente para construir uma nova sociedade, supostamente “do bem” e certamente utópica?

Repetirei aqui, mais ou menos, palavras de gente graúda (Bento XVI é um deles), não por plágio, mas por terem uma precisão cirúrgica: o Ocidente é o resultado da mescla de Jerusalém, Atenas e Roma ao longo do tempo. Jerusalém, porque traz consigo a moralidade judaico-cristã; Atenas, porque berço da Filosofia e da idéia-força da Democracia e Roma, porque o arranjo das relações Estado/Cidadão ganhou formato jurídico organizado. Defender que tais legados permaneçam na sociedade ocidental é ser conservador, não porque tudo deva ser estático, sem progresso ou dogmático, mas necessariamente porque há referenciais que, uma vez perdidos, farão sobressair no arranjo social a tirania e a violência, inclusive a barbárie.

Dentre os três pilares que sustentam o que se pode entender como Ocidente, aquele que corre o maior perigo, atualmente, é também o mais importante, é o qual simbolicamente enunciei anteriormente como Jerusalém. Não que eu desfaça da espiritualidade que Sião traz consigo, de forma alguma e muito antes pelo contrário, mas isto porque a moralidade rege as relações consuetudinárias, o cotidiano, aquilo que não está escrito exatamente, mas está no ar, é pano de fundo, é norte das relações interpessoais. Estando de pé esta coluna, as outras duas podem ser recuperadas, posto que esta seja o porto seguro da Caridade e da Liberdade.

Ouçam, no link de MP3 abaixo, da CBN, até onde vai o poder predador da quadrilha lulo-petista

 
 
 
 
http://download.sgr.globo.com/sgr-mp3/cbn/2012/noticias/co_120130.mp3


SEGUNDA, 30/01/2012
Brasil está em processo de 'desindustrialização' com perda de mercado interno e externo

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, de cada 100 máquinas vendidas no Brasil, 60 são importadas, 40 são nacionais com metade dos componentes importados.

As provas da conspiração forjada para sepultar o caso Celso Daniel



Entre o fim de janeiro e meados de março de 2002, investigadores da Polícia Federal encarregados de esclarecer o assassinato de Celso Daniel, prefeito de Santo André, gravaram muitas horas de conversas telefônicas entre cinco protagonistas da história muito mal contada: Sérgio Gomes da Silva, o “Sombra”, suposto mandante do crime, Ivone Santana, viúva da vítima, Klinger Luiz de Oliveira, secretário de Serviços Municipais de Santo André, Gilberto Carvalho, secretário de Governo, e Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado-geral do PT.


Todos sabiam da existência da fábrica de dinheiro sujo instalada na prefeitura para financiar campanhas do partido.


As 42 fitas resultantes da escuta foram encaminhadas ao juiz João Carlos da Rocha Mattos. Em março de 2003, pouco depois da posse do presidente Lula, Rocha Mattos alegou que as gravações haviam sido feitas sem autorização judicial e ordenou que fossem destruídas. Em outubro de 2005, condenado à prisão por venda de sentenças, o juiz revelou a VEJA (confira a reportagem na seção Vale Reprise) que os diálogos mais comprometedores envolviam Gilberto Carvalho, secretário-particular de Lula entre janeiro de 2003 e dezembro de 2010 e hoje secretário-geral da Presidência da República. “Ele comandava todas as conversas, dava orientações de como as pessoas deviam proceder. E mostrava preocupação com as buscas da polícia no apartamento de Celso Daniel”.


Em abril de 2011, depois de ter cumprido pena por venda de sentenças, Rocha Mattos reiterou a acusação em escala ampliada. “A apuração do caso do Celso começou no governo FHC”, afirmou. “A pedido do PT, a PF entrou no caso. Mas, quando o Lula assumiu, a PF virou, obviamente. Daí, ela, a PF, adulterou as fitas, eu não sei quem fez isso lá. A PF apagou as fitas, tem trechos com conversas não transcritas. O que eles fizeram foi abafar o caso, porque era muito desgastante, mais que o mensalão. O que aconteceu foi que o dinheiro das companhias de ônibus, arrecadados para o PT, não estava chegando integralmente a Celso Daniel. Quando ele descobriu isso, a situação dele ficou muito difícil. Agentes da PF manipularam as fitas de Celso Daniel. A PF fez um filtro nas fitas para tirar o que talvez fosse mais grave envolvendo Gilberto Carvalho”.


Só escaparam da minuciosa queima de arquivo algumas cópias que registram diálogos desidratados dos trechos com alto teor explosivo. Ainda assim, o que se ouve escancara uma conspiração forjada para bloquear o avanço das investigações e enterrar o caso na vala dos crimes comuns. E revela a alma do bando de comparsas que, em vez de chocar-se com a execução brutal de Celso Daniel, só pensa em livrar da cadeia o companheiro Sombra ─ e livrar-se do abraço de afogado do suspeito decidido a afundar atirando.
Confira os diálogos, clicando aqui

Em vez de exigir o esclarecimento da morte do amigo, Gilberto Carvalho resolveu matar as investigações no nascedouro. Por que agiu assim? Ele poderá responder também a essa pergunta na entrevista ao site de VEJA.

Fonte: Blog do Augusto Nunes

LAERTE NÃO ESTÁ REIVINDICANDO UM DIREITO PARA AS “TRANSGÊNERAS”. ESTÁ É TENTANDO SOLAPAR UM DIREITO DAS MULHERES



No post abaixo, anuncio que falarei sobre o caso do cartunista Laerte, o tal que decidiu andar por vai vestido de mulher e quer usar banheiro feminino. Repito o primeiro parágrafo para dar continuidade ao texto.



Uma mulher se incomodou com a presença de Larte, que se define agora como uma “pessoa transgênera”, no banheiro feminino de um restaurante e fez o óbvio: reclamou com o gerente, que recomendou ao cartunista que usasse o banheiro masculino. Que escândalo, não??? Para efeitos civis e legais (e segundo a biologia), ele continua… homem! Ele se ofendeu e procurou, imaginem só, a Secretaria de Justiça do Estado porque uma lei estadual, a 10.948/01, de autoria do petista Renato Simões, proíbe a discriminação de gênero (já falo a respeito).

Laerte, que tem 60 anos, é gay? Ele já foi casado e tem dois filhos. Também tem uma namorada. No que concerne à prática sexual propriamente, define-se como bissexual. Há dois anos, decidiu sair por aí vestido de mulher. Atenção! Nós não temos rigorosamente nada com isso! Faça ele da sua vida o que bem entender. No passeio público, nos restaurantes, onde quer que seja, desde que se comporte, como toda gente, segundo as regras da civilidade, deve ser respeitado, como qualquer pessoa. Ponto!

No dia, no entanto, em que bastar a um homem se vestir de mulher para poder freqüentar um espaço destinado, queiramos ou não, à intimidade das mulheres — e, atenção!, das meninas —, esses espaços ficarão à mercê da ação de pervertidos (eles existem!), que verão uma chance excepcional, sob a proteção da lei, de molestá-las. NÃO, SENHORES! LAERTE NÃO ESTÁ TENTANDO GARANTIR OS DIREITOS DAS TRANSGÊNERAS! ELE ESTÁ TENTANDO SOLAPAR OS DIREITOS FEMININOS.

Laerte faz um questionamento ridículo: pergunta se a mulher que reclamou se sentiria incomodada se houvesse uma lésbica no banheiro. Ainda que se sentisse, nada poderia fazer — sempre destacando os limites da civilidade a que todos devem obedecer. Ocorre que Laerte não é lésbica. Mesmo quando e se faz sexo com sua namorada portando adereços femininos, continua a ser um homem portando adereços femininos.
A isso está nos conduzindo o pensamento politicamente correto, que confunde reivindicações de minorias, mesmo as mais radicalizadas, com uma categoria de pensamento. Aos poucos, os valores universais da democracia é que estão sendo corroídos. Essa corrosão, é fatal, acabará ferindo direitos. Laerte, querendo ou não, resolveu agredir os das mulheres.



Por Reinaldo Azevedo

AÉCIO - O TRAÍRA



Aécio, o Óbvio, agradece a FHC e diz que fará "contraponto" e não "oposição" ao PT.

"Agradeço a referência do presidente Fernando Henrique. O partido saberá definir o melhor nome, entre os vários que dispõe, no momento certo, que, acredito, será após as eleições municipais. Temos que trabalhar agora pelo fortalecimento partidário e de suas estruturas, a juventude, as mulheres, os sindicatos, além do esforço para ampliar o alcance do nosso discurso. No momento certo, independente de quem será o nome, o PSDB estará em condições de apresentar um projeto ao país que faça o contraponto ao modelo de governança representado hoje pelo PT."


Nota de Aécio Neves (PSDB-MG) de agradecimento a Fernando Henrique Cardoso que declarou para a The Economist que ele é o "candidato óbvio" dos tucanos para 2014. E põe óbvio nisso.


Putin falsifica eleições e reprime opositores. Ocidente silencia


Na Rússia, a perda de prestígio do ex-coronel da KGB, Vladimir Putin, patenteou-se em estrepitosas vaias públicas e na perda da esmagadora maioria que seu partido possuía na Duma (Parlamento).
Nas eleições de dezembro, mais de cinco mil casos de fraude foram denunciados e entre 20 e 25% dos votos teriam sido fabricados, segundo o
“The Moscow Times”.

A fraude maciça foi confirmada pelos observadores internacionais e até pela secretária norteamericana de Estado, Hillary Clinton.

Dezenas de milhares de oposicionistas manifestaram-se contra a falcatrua e foram reprimidos com violência; mais de 500 foram presos.
Dezenas de bilhões de dólares teriam saído do país diante do sombrio panorama criado pela conduta ditatorial dos oficiais da ex-polícia política soviética.

Todas estas estripulias e violências socialistas eram previsíveis.

Ocidente reagirá diante de tanto desrespeito aos princípios que considera supremos, como “democracia”, “liberdade” ou eleições limpas?

A julgar pelo silêncio atual, Ocidente se acontenta com declarações de princípio e não pretende tirar nenhuma consequencia concreta.

O Kremlin tem então as mãos livres para prosseguir o regime ditatorial e se preparar para dar um pulo de morte por cima de seus adversários de sempre.

REGIME BOLIVARIANO DE CHÁVEZ CRIA MILÍCIAS INFANTIS ARMADAS NA VENEZUELA. VEJA FOTOS!




BLOG ALUISIO AMORIM


Já postei aqui no blog as fotos das
Milícias Camponesas de Hugo Chávez. Todavia é inacreditável que já exista na Venezuela as Milícias Infantis armadas. Mas, segundo está postado no site Noticiero Digital, confirmam-se os boatos dando conta da existência dessas Milícias Infantis. Nesse site há fotos e vídeo mostrando que um grupo de mulheres parece estar treinando as criancinhas a empunhar armas pesadas. Os pequenos usam um lenço que lhes cobre parte do rosto, como fazem os grupos terroristas em suas ações criminosas.
Por aí dá para ter uma idéia do estrago que o caudilho Hugo Chávez está fazendo na Venezuela que já é tido como um dos países mais violentos do planeta.Vamos quer o que diz a ONU através da UNICEF, ante essas imagens publicadas nesse site noticioso.
Veja tudo AQUI

ALUISIO AMORIM

Banco do Brasil muda 13 diretorias e fortalece a presença do PT




A sexta-feira terminou em clima de terrorismo no Banco do Brasil após uma dança das cadeiras sem precedentes no segundo escalão. Treze diretorias mudaram de mãos, sendo quatro por motivo de aposentadoria. Uma delas estava vaga desde dezembro, a de Distribuição de São Paulo, cujo titular, Dan Conrado, foi elevado à condição de vice-presidente de Varejo e Distribuição no mês passado. Nas alterações, o até então presidente da Cassi (plano de saúde do banco), Hayton Jurema da Rocha, se tornou o novo diretor de Marketing e Comunicação. Com as alterações, o presidente do BB, Aldemir Bendine, fortalece o Partido dos Trabalhadores (PT) na casa.

As trocas ocorreram ainda sob fortes suspeitas no mercado financeiro de que o BB teve um resultado aquém do esperado no quarto trimestre de 2011. No acumulado até setembro, o maior banco da América Latina lucrou R$ 9,2 bilhões, num crescimento de 18,9%. O balanço do ano será divulgado em 14 de fevereiro. Até lá, os executivos não podem se pronunciar sobre os dados. [se o BB teve um resultado abaixo do esperado, imaginem agora que está de vez nas mãos da trupe petista!]

PARODIANDO MAYAKOVSKY



Primeiro eles invadiram o estado e fizeram do ato de governar um balcão de negócios. Como não sou do governo, não me importo, não votei neles....;

Depois eles invadiram as terras, desvirtuaram a propriedade e danificaram as fazendas. Não sou fazendeiro, nem me preocupei;

Em seguida tomaram as estatais. Não trabalho lá, que se danem as “brás”, principalmente a PETROBRÁS;

Agora, se apossam das universidades. “Cotas, fim do vestibular, do mérito, império das greves e da ideologização do ensino".. ! Já tenho curso superior, isso não tem nada a ver comigo;

Durante esse tempo, eles aniquilaram a moral e a dignidade da nação, instalando em seu lugar o império da desordem, da farsa e da enganação. Bom, eu sou mais velho e vacinado desse vírus;

Sorrateiramente subverteram a harmonia social, insuflando dissimuladamente os negros contra os brancos, os índios e os quilombolas contra todos, os pobres contra os ricos, os “sem terra” contra os “com terra”. Como não sou negro e nem índio.... ;

Ainda compraram os poderes da república, com cargos, dinheiro e bajulações. Não pertenço a nenhum deles, que se danem;

Não satisfeitos, provocam os militares, insistindo na ladainha do revanchismo recalcado, cutucando o touro com lenço vermelho. Como chifrada de touro castrado não mete medo e boi mudo não cobre vaca..., só nos resta o frigorífico;

Espertos, dominaram a imprensa, calando jornais , revistas e televisões com verbas da publicidade oficial enganosa. Um dia serão fechados. Vai ser bom, não vejo as novelas Globo....;

Agora, descaradamente eles abandonaram a decência, as estradas, os hospitais, a segurança pública, as escolas , os portos, as cidades, as FFAA e a classe média, mas como sou aposentado, vou me recolher num condomínio e assistir de cadeira a profecia da Regina Duarte.

Mas temos filhos: aí não sei o que dizer..., valeu Mayakovsky.



Lusitano Perneta

PORQUE ALGUNS DEFENDEM TANTO O PT- LEIAM...PETRALHAS MAMANDO E NÓS PAGANDO A FARRA



GOVERNO DO PT TEM 22 MIL CARGOS DE CONFIANÇA. FOLHA DE PAGAMENTO DO GOVERNO CUSTA R$ 203 BILHÕES!

A presidente Dilma Rousseff bem que tenta promover a austeridade fiscal, mas, nem assim, o governo federal deixou de bater uma nada honrosa marca: a de 22.000 trabalhadores em cargos de confiança. A União vai arcar, em 2012, com uma folha de pessoal e encargos sociais acima de 203 bilhões de reais, mostra reportagem do jornal O Globo desta segunda-feira.

Desde o segundo ano do governo Luiz Inácio Lula da Silva, as funções comissionadas no Executivo federal só crescem. Em 2003, primeiro ano de Lula, houve uma queda no total de cargos de confiança, de 18.374 do último ano do governo Fernando Henrique Cardoso, em 2002, para 17.559 no final do ano seguinte. Depois disso, o número só cresceu. No final de 2011, já na gestão Dilma, foi de 21.870 para 22.000.


O governo diz que atualmente 70% dos cargos de confiança são ocupados por servidores públicos de carreira e que as nomeações políticas são minoria. Podem até ser minoria, mas estão crescendo. A categoria de cargos de confiança geralmente ocupada por indicações políticas englobava 209 pessoas em 2010 e agora inclui 217. A remuneração média deles é de 21,7 mil reais.


Em 2007, a categoria dos comissionados teve reajuste salarial de 139,75%. Agora, eles pressionam por um novo aumento. Como Dilma vetou a inclusão no orçamento de projetos que previam recursos para reajustes -, a intenção dos servidores é retomar as negociações a partir da semana que vem mas só fechar acordo em 2013. Projetos sobre aumentos precisam ser enviados ao Congresso até agosto, junto com a proposta orçamentária de 2013.
Do site da revista Veja

ALGEMAS NELES!



Carlos Verezza


O STF, ao invés de concentrar esforços para o julgamento do Mensalão - o maior crime de corrupção jamais visto na história deste país -, preocupa-se em legalizar as marchas pela descriminalização da maconha. Hipócritas! Depois "alarmam-se" com a irreversivel propagação do uso do crack, subproduto da pasta da cocaina, e que mata o usuário em menos de um ano!



Em pesquisas recentes, nove entre dez dependendentes de todas as drogas declararam ter começado pela maconha a escalada para outros tipos de entorpecentes!


O Lula não tem jeito: mesmo passando por um momento delicado de saúde, não abre mão de estar sempre fazendo seu marketing pessoal, "confraternizando-se" com outros doentes portadores de sua doença, mas não abrindo mão de seu fotografo oficial!


Desejo sinceramente a sua cura, como desejo ardentemente, que esta figura seja banida da vida pública e politica, pelo menos nos próximos cinquenta anos!


O Capo deixou para Dilma a verdadeira Herança Maldita: todos os ministros - trinta e oito mais secretários - deveriam , juntamente com Lula, incluindo os defenestrados pela imprensa , estar cumprindo pena máxima por locupletação de dinheiro público e formação de quadrilha!

De preferência, algemados e com as mãos para a frente!

Mão de obra escrava do Haiti dá status de país acolhedor para o Brasil




Resumo da notícia: “ Chegada de haitianos, é fruto da política internacional, diz especialista -Brasil, o 6° maior PIB mundial, virou atrativo para haitianos que vivem em um país com PIB de pouco mais de R$ 20 milhões”.
Para início de conversa, o governo do PT é especialista em apresentar um PIB fantasma (devem ter aprendido isso com o
comunismo Chinês). Se as pessoas ganham mais e pagam menos juros o PIB cresce, mas com um salário baixo e juro alto o PIB cai. A estratégia imunda do PT foi transformar os empréstimos em uma forma de salário. Já o governo imundo do PSD resolveu pagar o aumento de boa parte do funcionalismo em suaves parcelas. É fácil ter o sexto PIB do mundo desse jeito.

O que o PT está criando são escravos do Haiti e ainda com requisitos de seleção. Nas fotos vinculadas na internet temos vários haitianos que lembra mais o tempo da escravidão onde o senhores escolhiam o escravo mais “sarado “ para o trabalho:

Um exemplo disso está na frase abaixo de um fazendeiro paulista . Segundo ele, os brasileiros não querem trabalhar:

“Eu vim buscar empregados que queiram trabalhar, esse pessoal passou por terremoto, guerra civil e querem trabalhar, o brasileiro não passou por nada disso e não quer trabalhar muito”, afirmou Antonio Carlos.

DOIDA VARRIDA- MARINA SILVA



A imprensa do mundo inteiro registra a decadência do Forum Social Mundial, realizado até o último domingo em Porto Alegre e em várias cidades petistas da região. De presidentes de países, apenas Dilma deu uma passada por lá. A outra grande estrela da festa foi o assassino italiano Cesare Battisti, recebido com honras de estado no Palácio Piratini, pelo seu protetor, o governador e ex-ministro da Justiça que lhe concedeu abrigo, Tarso Genro.

Mas quem brilhou mesmo, como uma estrela cadente, foi Marina Silva, com a sua lenga-lenga 2.0 e a sua "nova política" que prega o fim da agricultura e da pecuária brasileiras, em nome de um planeta faminto e da perpetuação da fome que ataca um bilhão de pessoas no mundo.

Aliás, em uma das palestras, em meio a ambientalistas, hippies e outras tribos, a Doida Verde passou por momentos de encantamento. A mediadora pediu para que a plateia fizesse um minuto de silêncio e fechasse os olhos para sentir a "pulsação do planeta". Quanta sustentabilidade!
Do excelente blog do Coronel

Dilma, em Cuba, livra a cara de tiranos que mataram 3.951 vezes mais do que o regime militar brasileiro.



CÍNICOS! HIPÓCRITAS!


Para Dilma, ditadura que matou 424 pessoas era composta por bandidos, já a que matou 100 mil é um celeiro de heróis. Seu passado explica tudo!



Mas por que, afinal de contas, Dilma não faz uma cobrança explícita a Cuba, pedindo respeito aos direitos humanos, como fez Jimmy Carter no Brasil em 1978? Carter era, e é, um bobalhão em política externa (não vou debater isso agora), mas vem de uma tradição democrática. Dilma, ao contrário, vem de um tradição autoritária, antidemocrática.

Sim, vocês já leram essas informações aqui, mas cumpre relembrá-las porque, infelizmente, o momento pede. Dilma queria uma ditadura comunista de modelo soviético no Brasil. Era essa a utopia do Colina (Comando de Libertação Nacional), que depois se fundiu à VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) parar formar a VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares). Estamos falando de grupos terroristas que estavam entre os mais virulentos do país, com várias mortes e atentados nas costas. Não viam mal, inclusive, em matar gente sem qualquer ligação com a luta política. Afinal, eles queriam a “libertação nacional”, né?

Que importância tem isso? A importância que tem a verdade:
- não, não queria democracia; queria ditadura comunista;
- não, não lutava “pela liberdade; lutava para implantar o socialismo;
- não, não foi presa por crime de opinião; foi presa porque pertencia a um grupo que praticou uma série de atentados, com várias mortes.



REINALDO AZEVEDO

TRISTE ..ESTA TAL MINISTRA...


Ausente da comitiva de Dilma em Cuba, Maria do Rosário (Direitos Humanos) explica que já tinha viagem marcada para o Haiti. E completa: "A marca de Cuba não é a violação de direitos humanos, e sim ter sofrido uma violação histórica, o embargo americano".(Do Painel da Folha)


O que menos se espera de uma ministra de Direitos Humanos é que ela acoberte assassinos. Que seja cúmplice de milhares de mortes. Daria para escrever um livro em cima desta declaração nojenta, abjeta, cínica e criminosa contra tudo o que se entende por Direitos Humanos. Mas vamos dar um presente para a Maria do Rosário: um porta-retrato para a sua mesa. Nele está o atual presidente cubano, Raul Castro, vedando os olhos de um preso político para ser executado com um tiro de pistola na cabeça, sem julgamento, ao melhor estilo Che Guevara.Ontem este assassino apertou a mão da Presidente da República do Brasil. Ontem este assassino recebeu mais alguns milhões de dólares. Faça bom proveito, Maria do Rosário.


BLOG CORONEL

domingo, 29 de janeiro de 2012

Governo do trilhão





Miriam Leitão
O Globo
28/01/12

O governo federal tirou dos contribuintes quase R$1 trilhão no ano de 2011 em forma de impostos. E, mesmo assim, terminou o ano no vermelho, com um déficit nominal de 2,4% do PIB. O bolso do contribuinte, pessoa física e jurídica, também teve que mandar outros bilhões de reais para sustentar os governos estaduais e municipais.
A carga tributária pode ter aumentando 1,12 p.p. sobre o PIB, pelas contas do IBPT, e há fatos curiosos. A arrecadação aumentou 10,1%, descontando a inflação, apesar de o país ter desacelerado o ritmo no final do ano. O país cresceu menos de 3% em 2011, e a receita do governo federal com impostos e contribuições aumentou sobre 2010, em que o PIB cresceu 7,5%.
Em parte, isso é efeito de defasagem em impostos, como o Imposto de Renda, por exemplo, que cresceu quase 20%, mais do que a média das outras taxas. Mas há outros fatores que explicam o resultado positivo: a suspensão das isenções fiscais para o setor automobilístico, o aumento do imposto de importação, uma elevação do tributo sobre ganhos de capital. E um pagamento de uma dívida que estava sendo contestada pela Vale. Só a empresa pagou ao governo R$5 bilhões, mesmo antes de encerrar a discussão judicial. A nova diretoria da Vale decidiu fazer o recolhimento.

O problema no Brasil não é apenas que o governo cobra imposto demais, é que ele usa os recursos de forma ineficiente, a cada ano precisa de mais impostos, e sempre está fechando as contas com déficit. É uma dinâmica que não pode ser mantida indefinidamente. A carga tributária tem aumentado há quase 20 anos.
Para cumprir as metas fiscais, de superávit primário, o governo precisou postergar investimentos e recolher mais impostos. Imagina o que teria acontecido se a arrecadação não tivesse aumentado? O governo não pode contar sempre com aumento da receita para fechar as contas, porque haverá anos difíceis. Em 2012, muito provavelmente os impostos não crescerão nessa proporção. O ajuste tem que ser feito pelo lado da despesa e não apenas pela elevação da receita.

O presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, João Eloi Olenike, disse que normalmente a arrecadação federal é 70% de todos os impostos pagos pelos brasileiros. Se juntarmos com o que os contribuintes recolheram aos estados e municípios a carga que pesou sobre os nossos bolsos foi de R$1,375 trilhão. Só nos primeiros vinte dias de 2012 os brasileiros já pagaram R$100 bilhões, segundo o impostômetro da Associação Comercial de São Paulo.
Parte do aumento da arrecadação é por maior eficiência fiscalizatória. É bom que haja, para evitar a sonegação. Mas o peso dos impostos continua sendo distribuído desigualmente.

- Os impostos em sua maioria incidem sobre o consumo e assim não se separa por faixa de renda. Todos pagam igual, o que é inconstitucional. O pobre paga tanto quanto o rico - diz Olenike.

Nós já estamos em um regime de partido único


PT e PSDB são as duas principais sub-legendas deste partido único. Não há equívoco algum por parte de Fernando Henrique (do Espírito Santo) Cardoso nesta sua entrevista. Fernando é doutor honoris causa por dezenas de universidades de todos os cantos do mundo, é o criador do capítulo brasileiro do Diálogo Inter-americano, é ex-presidente do Clube de Roma, é um dos intelectuais mais influentes do mundo. E é um estulto? Falou ao The Economist de maneira precipitada e atabalhoada? Entrevistas como esta, para este tipo de veículo, lidas por quem toma decisões, divulgadas por todo o mundo, são meticulosamente planejadas.

SERGIO

Como eu disse aqui: a mini-serie O Brado Retumbante é o primeiro ato da campanha Aécio Presidente.




Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Uma Ação Psicológica consiste em plantar uma informação ou uma estória contextualizada na mídia para criar pré-condições de aceitação na opinião pública para assuntos que interessam ao promotor da ação. Especialistas em tais ações de efeito psicossocial, alguns petistas andam lamuriando que a minissérie “O Brado Retumbante”, recém-veiculada pela Rede Globo, seria uma preparação para a quase certa candidatura presidencial do mineirinho Aécio Neves – o queridinho do pessoal lá da City de Londres -, em 2014.
Os petralinhas podem até ter razão desta vez. A Globo faz nada de graça. Ou sem uma boa segunda intenção. Ainda mais quando ataca no campo político ou ideológico. A ficção elaborada por Euclides Marinho conta a estorinha de um político jovem e mulherengo que assume a Presidência da República como um paladino da ética a enfrentar a corrupção que assola o País. Curioso é que Paulo Ventura tem a “ventura” de assumir o cargo pela morte do Presidente e de seu vice em um desastre de avião. Já pensou um vácuo institucional gerado por acidente? Ficção aceita tudo...

Petralinhas são diabinhos travestidos de anjos que sempre enxergam dente na boca da galinha dos ovos de ouro que eles ajudam a matar. Noves fora o faniquito deles, um detalhe exposto pela novelinha global chama atenção de quem ousa analisar a realidade brasileira. Com os nossos Três Poderes se apodrecendo em velocidade assustadora, ficamos com a impressão de que o Brasil pode caminhar, a qualquer instante, para um vazio institucional. Daí, surge aquela perguntinha feita por qualquer noveleiro: Quem pode ou se credencia para assumir o poder gerado pelo eventual vácuo institucional?

Já temos gente se promovendo para a “venturosa” missão de “Salvador da Pátria”. Alguns nomes saem na frente em suas aparições midiáticas ou nos bastidores políticos. Um deles é o ministro Carlos Ayres Britto, programado para assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal em abril. Ao receber, quinta-feira passada, em Salvador, a comenda J.J. Calmon de Passos por serviços prestados aos direitos humanos, concedida pelo Ministério Público Estadual da Bahia, o supremo magistrado já deu seu “brado retumbante”.

Nessa expectativa, uma coisa é certa. A voz rouca das ruas (como uma vez quis ouvir Fernando Henrique Cardoso) ou o clamor das ruas (nos moldes daquelas marchas com Deus pela Família e pela Liberdade do pré-1964) não mais se manifestam de maneira tão explícita. No máximo, o grito é dado virtualmente. Basta ver o que escrevem as pessoas esclarecidas nas redes sociais da internet. Por que aquela indignação não se transforma em solução? Eis a questão!
Se o brado retumbante é menos importante e improvável (ao menos na proporção barulhentamente sonhada), é preciso valorizar a “obra do retumbante”. Ou seja, a gritaria precisa se transformar em propostas concretas, discutidas democraticamente e capazes de serem implementadas urgentemente, para o aperfeiçoamento institucional do Brasil. A obra do retumbante está muito próxima de virar realidade. Quem sobreviver verá...

MAIS UM ESPTERTALHÃO QUERENDO VIVER ÀS NOSSAS CUSTAS!!!




Quando chegou em Portugal, em 1976, Enoir Oliveira da Luz não imaginava que comandaria o primeiro restaurante de comida brasileira do país, com donos brasileiros. Mais de três décadas depois, no entanto, a crise econômica que atinge a Europa faz o empresário pensar em voltar para o Brasil.

Aos 75 anos, ele quer uma reparação por considerar-se um refugiado político, o que não coincide com a posição do governo brasileiro, segundo seu relato. “Como eu não fui julgado, eles alegam que eu não sou refugiado político”, diz. Sem a reparação, ele afirma, sua aposentadoria não será suficiente para viver no Brasil.

Em sua terra natal, o brasileiro que ficou conhecido em terras lusitanas como Juca ou ainda “brazuca”, era um sindicalista ativo, atividade que o teria “obrigado” a abandonar o país em 1972, por conta de perseguições políticas.

Ao deixar o Brasil com a mulher, seu primeiro destino foi a Rússia. “Escolhemos Moscou porque poderíamos aproveitar para estudar ciências políticas, economia... Pretendíamos ficar uns dois, três meses, e depois voltar. No entanto, como a polícia começou a prender todo mundo, não deu para voltar”, lembra.

Depois de mais de três anos na capital russa, o casal mudou-se para Portugal. “Viemos para Portugal por causa da língua, e porque tínhamos a possibilidade de trazer os nossos filhos”.

Em Lisboa, Juca continuou com as suas atividades políticas, indo trabalhar na reprografia do Sindicato da Construção Civil. A entrada no mercado de restaurantes aconteceu de forma inesperada. “Em 1977 resolvemos fazer uma feijoada de solidariedade, para ajudar os brasileiros, numa cooperativa que tinha um restaurante que chamava “A Voz do Operário” (...) Amigos que estavam em Paris mandaram o feijão preto para nós, porque aqui não havia, e eu e a minha mulher fizemos a feijoada que foi um sucesso”.

A partir daí, ele não conseguiu mais parar de cozinhar. Novos convites foram surgindo, até que em 1978, em conjunto com outros dois brasileiros, ele abriu o restaurante “Brazuca”. O negócio estimulou o cultivo do feijão preto em Portugal. “Alguns amigos resolveram plantá-lo aqui, em estufa, e tivemos um rendimento enorme. Não tínhamos onde estocar tanto feijão, visto que naquela época só nós tínhamos o hábito de comer feijão preto”.

O restaurante, conta, virou reduto de personalidades nacionais e internacionais e referência para brasileiros que se mudavam para Portugal. Pratos servidos no local – que estava sempre lotado – foram premiados em concursos de culinária. Mas, a partir da década de 90, Juca diz que o negócio começou a sentir os efeitos do que chama de “primeira crise de Portugal”. Hoje ele é o único dono do estabelecimento, que mantém com uma estrutura familiar.

Atualmente, a presença de turistas norte-americanos e canadenses é o que mantém as portas do restaurante abertas, segundo o proprietário. Isso é o que faz com que ele queira voltar para o Brasil, mesmo depois de sua família já ter se acostumado a viver em Portugal.


__._,_.___

PT financia a ditadura assassina cubana com quase U$ 1 bilhão.



Entre dinheiro para o Porto de Mariel -de onde sairam 150.000"marielitos" em 1980 -e financiamentos garantidos pelo Camex, o Brasil já colocou U$ 1 bilhão em Cuba. Mariel está sendo construído pela Odebrecht, a sempre Odebrecht, grande parceira e financiadora de campanhas do PT. Dilma está viajando amanhã e não vai falar de direitos humanos com o ditador assassino Fidel Castro. As prisões de Cuba estão cheias de presos políticos e hoje é domingo, dia das Damas de Blanco apanharem da polícia. Na última vez que um presidente brasileiro visitou a ilha-prisão, um oposicionista morreu de greve de fome, enquanto um embevecido Franklin Martins e Lula deliciavam-se com charutos e rum à beira da piscina de Fidel. Dilma, assim como Lula, também voltará de lá com as mãos sujas de sangue

BLOG CORONEL



Meus Amigos,


O que tem em comum o editorial do jornal O Estado de São Paulo ("Agora a capital, depois o Estado"), a notícia de que o secretário da Cultura, Andrea Matarazzo, foi agredido por uma turba politicamente orientada e que um dos ícones do empresariado nacional, Jorge Gerdau, está emprestando seu prestígio para gerenciar os ministros da presidente Dilma Rousseff?

Tudo. A adesão de Jorge Gerdau é símbolo da adesão integral do grande empresariado ao governo do PT. A notícia de que todos os meios estão sendo empregados para eleger o candidato petista em São Paulo também, pois São Paulo tem sido o entrave ao projeto hegemônico do petismo.

E o cerceamento do secretário Andrea Matarazzo é demostração de que as turbas petistas vão mesmo usar a "ação direta" para atingir seus objetivos. Tudo como nos anos Trinta. O Brasil está sob o perigo da instituição de uma ordem totalitária.


Meus comentários em vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=qn_uA3yi41E


Cordialmente,


Nivaldo Cordeiro

onde estão os Comunistas e Socialistas que dizem que o Capitalismo morreu???


Para desemperrar máquina pública, presidente Dilma chama Jorge Gerdau para cobrar ministros


Preocupada com os problemas de gestão da administração federal, a presidente Dilma Rousseff decidiu acelerar o processo de adoção de um modelo empresarial para tentar desemperrar a máquina pública e dar um upgrade no atendimento prestado ao público. A estratégia de guinada em direção a um novo modelo prevê conversas do megaempresário Jorge Gerdau com diversos ministros, revisão do funcionamento das pastas por uma consultoria privada, definição de metas e prazos e fiscalização em tempo real dos projetos e gastos públicos.

Esse planejamento estratégico, no entanto, esbarra em problemas como o gigantismo da equipe herdada de Luiz Inácio Lula da Silva, com 38 ministros, e a força de partidos aliados, que montaram verdadeiros feudos políticos nas pastas que conduzem, aparelhando áreas vitais para o atendimento à população.
Alguns exemplos claros mostram que essa estratégia já foi acelerada dentro do governo. Presidente da Câmara de Gestão e Competitividade do governo, Jorge Gerdau tem conversado com ministros, entregando uma espécie de lista de tarefas e sugestões para que as pastas melhorem o desempenho. Ele sugeriu a redução de pastas, mas, sem que o governo tivesse força política para conseguir isso, a tática mudou para o monitoramento mais próximo dos ministérios.

Para que esse movimento avance, o governo sabe que um dos principais nós a ser desatado está na partidarização de cargos nos ministérios e autarquias. A estratégia a ser adotada por Dilma é de amenizar o impacto dessas indicações políticas. Em vez de vetar as indicações políticas ou extinguir ministérios, o Planalto definirá objetivos e resultados que poderá cobrar dos ministros. Ou seja, a maneira escolhida por Dilma para blindar sua gestão do xadrez político que precisa jogar para dispor de maioria no Congresso vai na linha de melhorar a relação do Estado com a população, fazendo a máquina funcionar sem importar quem comanda o ministério.

PSDB - UM PARTIDO COVARDE




O medo de assumir uma postura oposicionista tem levado o partido à paralisia. É uma oposição medrosa, envergonhada. Como se a presidente Dilma Rousseff tivesse sido eleita com uma votação consagradora. E no primeiro turno. Ou porque a administração petista estivesse realizando um governo eficiente e moralizador. Nem uma coisa nem outra. As realizações administrativas são pífias e não passa uma semana sem uma acusação de corrupção nos altos escalões.

O silêncio, a incompetência política e a falta de combatividade estão levando à petrificação de um bloco que vai perpetuar-se no poder. É uma cruel associação do grande capital - apoiado pelo governo e dependente dele - com os setores miseráveis sustentados pelos programas assistencialistas. Ou seja, o grande capital se fortalece com o apoio financeiro do Estado, que o brinda com generosos empréstimos, concessões e obras públicas. É a privatização em larga escala dos recursos e bens públicos. Já na base da pirâmide a estratégia é manter milhões de famílias como dependentes de programas que eternizam a disparidade social. Deixam de ser miseráveis. Passam para a categoria da extrema pobreza, para gáudio de alguns pesquisadores. E tudo temperado pelo sufrágio universal sem política.

Em meio a este triste panorama, não temos o contradiscurso, que existe em qualquer democracia. Ao contrário, a omissão e a falta de rumo caracterizam o PSDB. Para romper este impasse é necessário discutir abertamente uma proposta para o País, não temer o debate, o questionamento interno, a polêmica, além de buscar alianças programáticas. É preciso saber o que pensam as principais lideranças. Numa democracia ninguém é líder por imposição superior. Tem de apresentar suas ideias.



MARCO ANTONIO VILLA, HISTORIADOR, É PROFESSOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR)

FHC - O GRANDE PETRALHA!



Em 2005, no auge da crise do mensalão, capitaneou o movimento que impediu a abertura de processo de impeachment contra o então presidente Lula. Espalhou aos quatro ventos que Lula já era página virada na nossa História e que o PSDB deveria levá-lo, sangrando, às cordas, para vencê-lo facilmente no ano seguinte. Deu no que deu, como sabemos. Agora resolveu defender a tese de que a oposição tenha um candidato presidencial, com uma antecedência de dois anos e meio do início efetivo do processo eleitoral. É caso único na nossa História. Nem sequer na República Velha alguém chegou a propor tal antecipação. É uma espécie de dedazo, como ocorria no México sob o domínio do PRI. Apontou o dedo e determinou que o candidato tem de ser Aécio Neves. Não apresentou nenhuma ideia, uma proposta de governo, nada. Disse, singelamente, que Aécio estaria mais de acordo com a tradição política brasileira. Convenhamos que é um argumento pobre. Ao menos deveria ter apresentado alguma proposta defendida por Aécio para poder justificar a escolha.

A ação intempestiva e equivocada de Fernando Henrique demonstra que o principal partido da oposição, o PSDB, está perdido, sem direção, não sabendo para onde ir. O partido está órfão de um ideário, de ao menos um conjunto de propostas sobre questões fundamentais do País. Projeto para o País? Bem, aí seria exigir demais. Em suma, o partido não é um partido, na acepção do termo.

Fernando Henrique falou da necessidade de alianças políticas. Está correto. Nenhum partido sobrevive sem elas. O PSDB é um bom exemplo. Está nacionalmente isolado. Por ser o maior partido oposicionista e não ter definido um rumo para a oposição, acabou estimulando um movimento de adesão ao governo. Para qualquer político fica sempre a pergunta: ser oposição para quê? Oposição precisa ter programa e perspectiva real de poder. Caso contrário, não passa de um ajuntamento de vozes proclamando críticas, como um agrupamento milenarista.
Sem apresentar nenhuma proposta ideológica, a "estratégia" apresentada por Fernando Henrique é de buscar alianças. Presume-se que seja ao estilo petista, tendo a máquina estatal como prêmio. Pois se não são apresentadas ideias, ainda que vagas, sobre o País, a aliança vai se dar com base em qual programa? E com quais partidos? Diz que pretende dividir a base parlamentar oficialista. Como? Quem pretende sair do governo? Não será mais uma das suas análises de conjuntura fadadas ao fracasso?

MARCOS VILLA

TRANSPOSIÇÃO- FRAUDE E DOLO



Brasileiro, fique alerta, o projeto de transposição ou integração, como alardeia o PT, das águas do Rio São Francisco é impossível. É fraude pura dos governos Lulla e Dilma/PT. Quando se fala em transpor águas para níveis mais elevados precisa-se de bombas de alta potência trabalhando ininterruptamente para elevar o volume de águas e quando se fala em bombas elas só funcionam com energia- eletricidade ou óleo dísel (diesel). Esses elementos indispensáveis não constam no projeto e há levantamento dos governos militares da inviabilidade da obra. Lulla e Dilma sempre souberam disso e enganaram o povo para se manterem no Poder. Os CREA também sabem e silenciam e os repórteres não abordam a questão do bombeamento sem a qual a transposição/"integração" não existe. Tempos atrás eu levantei todo o projeto no Ministério da Integração. Trata-se de um projeto impossível.



ALVARO CERQUEIRA

sábado, 28 de janeiro de 2012

Tarso Battisti,A Certidão Cubana da Idiotocracia Brasileira.



Ora, quem manda os italianos não terem prestígio com o Lula e seus PTralhas?
A Itália que é uma Ditadura Capitalista serve apenas para dar dupla cidadania para D. Mariza, Lula e Filhos, além das credenciais para seus Passaportes Diplomáticos concedidos por Celso Boca-torta Amorim, quando Diplomata do Itamaraty.
Já em Cuba, a situação é bem diversa. Reina a pluralidade, respeito pelas divergências e pelas oposições. É um tipo especial de Democracia, embora Comunista, mas as leis e instituições funcionam. Fidel Castro é meramente um exemplar e fiel escravo da legalidade, que promove o jogo limpo de disputa eleitoral e da alternância de poder.

Então, os atletas boxeadores seriam bem tratados por juízes livres de pressões, em Cuba. Precisariam ser deportados do Brasil, por outro democrata extraordinário, o Ministro Tarso Genro da Justiça do Lula.

Certamente, em Cuba, seriam bem tratados e respeitados pelos irmãos Castro. Lá não tem grevistas de fome, mas prisioneiros comuns. que praticaram roubos e mortes, como nos presídios de S.Paulo. E, reconhecidos e agradecidos, os atletas, certamente enviariam cartas de agradecimentos ao governo brasileiro, por um gesto tão humanitário, depois de um longo contencioso de extradição julgado e aprovado pelo Supremo.

Tudo conforme a legalidade e relações diplomáticas saudáveis.

Assim, não devemos confundir o Lula, Tarso Genro e seus PTralhas que são democratas na essência e jamais serão afinados com as Ditaduras dispersas pelo mundo, particularmente com uma Ditadura Ultrapassada da Itália.

Cuba como tem democracia e por lá há respeito pelos direitos humanos, o que muito difere dos criminosos e mafiosos vulgares italianos, merecem ser elogiada e decantada pelos brasileiros, sobretudo pelos ricaços amigos do Lula e da Dilma, além dos famintos dependentes das bolsas-família.

Festejemos, porém, a IDIOTOCRACIA BRASILEIRA a Serviço da Expansão do Império Cubano. Os italianos que se defendam e que restabeleçam suas relações diplomáticas e fortaleçam suas instituições. Que respeitem às liberdades comunistas do seu povo, bem expressas no Césare Battisti. O homem que mata por idealismo.




O Lula como sempre, age de boa-fé e de conformidade com a educação rebecida do seu padrinho Fidel Castro.

JOSE MADEIRO- "O CÍNICO"

Preconceito contra gatos preto será discutido no Senado



O Senado Federal quer acabar com o preconceito social que existe contra os gatos da cor preta. O projeto de Lei é de autoria do Senador José Agripino Maia (DEM-RN), líder do Democrata no Congresso, que cria 7 gatos preto no seu apartamento em Brasília.

“Dizem que gato preto dá azar, mas isso é mentira, pois tenho sete bichanos de cor preta e nunca tive azar, sempre me reelejo nas eleições”, disse Agripino.

Se for aprovado pelos colegas, e sancionado pela Presidenta Dilma, o Projeto de Lei punirá quem tiver preconceito com gato preto, e ainda, prevê multa para quem tiver a superstição de que o gato preto dá azar.



Isso é um problema de todos, pois quem ainda não é aposentado, mais cedo ou mais tarde, será.


Obrigada, Presidente Dilma!

Da leitora de O Globo, Maria Cristina Duarte de Faria 
 
"Agradeço à presidente Dilma por vetar o aumento aos aposentados, pois eles não precisam de aumento, não pagam luz, gás, aluguel, remédios, etc., como todas as outras categorias.
 
 Tudo lhes é dado gratuitamente, ao contrário de parlamentares, juízes, ministros, etc., que têm de trabalhar duro para conseguir o pouco que têm.
 
 Aposentado só trabalhou por 30, 35 anos, descontando durante esses anos todos para uma Previdência que hoje o acha culpado de todos os males. Aposentado vive de teimoso, pois já não se precisa mais dele, agora que não trabalha mais; é um vagabundo e só serve para o Imposto de Renda.
 
 
Além disso, a única greve que os aposentados podem fazer é a de não mais morrerem e entupirem um pouco mais os hospitais públicos, com suas doenças.
 
Cordiais saudações, presidente Dilma.
Nós, os aposentados, agradecemos seu carinho e respeito.
 
 
Não deixem de repassar.... o Brasil precisa acordar!
 

Aposentado


Gente vejam com atenção este video que é bastante elucidativo





A BOLHA ... MUITO INTERESSANTE!!!!!





http://www.youtube.com/embed/2yL7t0j_4tQ

PRESENTINHO




ASSISTAM




http://www.youtube.com/watch_popup?v=HO2lWVJGWIg&feature=related




......................

Triste esta tal PARTIDO DOS TRABALHADORES




Pelo que Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, deu a entender ontem em Davos, a situação dos direitos humanos em Cuba não é importante e nem preocupa. Segundo ele, “existem situações muito mais preocupantes, inclusive Guantánamo” e, por isso, Dilma não vai nem tocar no assunto.


É. Guantánamo preocupa tanto que nem a ditadura castrista quer saber dos 116 quilômetros quadrados ocupados pela base naval americana, mas a morte de presos cubanos não é importante, afinal, como disse Lula, eles morreram porque quiseram. Quem mandou não comer?

Por Ricardo Froes

A canalha dos Direitos Humanos já observou a curva do xixi do "bilauzinho"? Foi para isto que existe o "urinol" - simples, não?



Opinião




Um travesti foi ao banheiro das mulheres. Um dos clientes reclamou ao gerente.Pronto está armado o barraco.Já tem gente, como uma tal de secretária de qualquer coisa dos direitos humanos, dizendo que o travesti deve exigir os seus direitos.Como eu NÃO QUERO TRAVESTI NO MESMO BANHEIRO DA MINHA MÃE, MINHA IRMÃ, MINHA MULHER E MINHA FILHA.Pergundo aí, quem é a favor do uso de banheiro público feminino por travesti? Quem responder afirmativamente, por favor, registre que aceita que as mulheres relacionadas, da sua família, estariam aptas a frequentar o mesmo banheiro.Espero, as manifestações e respostas.E alerto: não sou preconceituoso. Respeito o direito do sujeito ter a opção sexual que bem desejar. Só não quero intimidades de qualquer espécie de homem com as mulheres da minha família, ainda mais em banheiro...


Galvez.